♕ Blog da Ingrid Dirgni ♕

Just another WordPress.com weblog

Arquivo para o mês “março, 2011”

Espera serena


“E chegando o prazo de cada moça vir ao rei Assuero, depois de tratada segundo as prescrições para as mulheres, por doze meses (porque assim se cumpriam os dias de seu embelezamento, seis meses com óleo de mirra e seis meses com especiarias e com perfumes e unguentos em uso entre as mulheres), então, é que vinha a jovem ao rei…” (Ester 2:12-13)

Eu sempre fico abismada com o tipo de preparação que a futura rainha Ester teve que passar antes que fosse apta para se apresentar ao rei Assuero. Alguma de nós estaria disposta a passar por doze meses de tratamento de beleza antes de conhecer o homem dos nossos sonhos? Imagina um ano separado com apenas um único propósito: tornar-se tudo o que for capaz de ser para aquele a quem mais ama. Tempo precioso para cultivar beleza, fazer investimentos em educação e etiqueta, fortalecer virtudes e construir carácter. A preparação de Ester lembra-me daquele precioso tempo entre o despertar do desejo no coração de uma jovem mulher de compartilhar a sua vida com um companheiro e o momento em que sobe ao altar. Para muitas, esse tempo de preparação é visto como nada mais que um tempo de espera. Mulheres solteiras frequentemente vêem-se si mesmas como sentadas na prateleira enquanto a vida passa por elas, ou sentadas no banco enquanto outras jogam. Não percebem que estão a desperdiçar o período mais importante das suas vidas, estão a privar-se a si mesmas de grandes alegrias e recompensas,  privando os seus futuros maridos de ter uma mulher mais virtuosa e de Deus ter uma serva através da qual Ele deseja fazer coisas grandiosas.
Assim como Ester teve que preparar-se antes que pudesse ser rainha de um reino inteiro, a mulher cristã também deve estar preparada antes que possa embarcar num dos mais importantes e difíceis chamados na vida: O matrimónio e a maternidade. Ester teve que aprender os costumes do reino em que vivia,  aprendendo por isso as práticas da vida na corte e os desafios intelectuais, emocionais e espirituais da posição superior. Para simplificar, Ester tinha que ser convertida de uma jovem moça a uma rainha. Da mesma forma, a mulher cristã solteira deve aprender os costumes do Reino dos Céus antes mesmo de casar-se com aquele que Deus está a preparar para ela. Ela deve estar preparada intelectualmente, emocionalmente e espiritualmente, não por um representante da corte nalgum templo pagão, mas pelo próprio Deus, através da Sua Palavra e por outras mulheres de Deus que foram preparadas antes dela.
O celibato não é um desperdício de

tempo ou uma condenação a ficar sentada no banco, mas um tempo que Deus separou especialmente para fazer da mulher o que Ele quer que ela seja e usá-la de formas que poderiam ser impossíveis após o casamento. O celibato é um tempo no qual uma mulher deve cultivar as virtudes que pertencem a uma mulher de Deus, para assim poder oferecer ao seu futuro marido e ao mundo algo mais do que apenas um rosto bonito. Lembra-te que no teu celibato tu não és a única solteira, mas o teu futuro marido está a passar pelo mesmo estágio que tu. Não seria terrível finalmente conhecer o homem que irá tornar-se o teu marido e descobrir que ele usou o seu próprio celibato para servir a Deus e preparar-se para ser um marido melhor para ti, enquanto que tu não usas-te a liberdade do teu celibato para servir ao Senhor? Temos que aprender a aproveitar as vantagem  do treinamento que Deus nos ofereceu. Também não seria terrível perceber que o teu marido passou os seus dias como homem solteiro orando diariamente pelas tuas necessidades e pela obra de Deus na tua vida, enquanto tu nem sequer oras-te por ele, nem respondes-te à graça de Deus que te foi dada como um resultado das orações dele? É algo maravilhoso quando Deus abençoa uma mulher com um marido. Aquele alguém especial é “simplesmente perfeito” para ela, o qual foi, de uma forma cuidadosa e pensativa, desenhado por Deus para ser um em união com ela. É tamanho o prazer para a mulher, olhar para trás e lembrar como Deus a capacitou para esperar n’Ele e que Ele foi fiel em abençoá-la. É ainda maior o prazer para ela saber que seu tempo como uma mulher solteira foi também um tempo de buscar a Deus e ser fiel a Ele no seu propósito. Que não quis nem por um momento fugir daquele estado, mas desejou apenas confiar em Deus e esperar na sua graciosa soberania. De nenhuma maneira é uma tragédia ser uma mulher cristã solteira, mas o caminho do mundo mais uma vez se infiltrou na Cristandade com a falsa ideia de que é uma tragédia ser solteiro.

Uma das maiores mentiras que se ouve é que se  não “temos alguém” ou não estamos à “procura de alguém”, há algo de errado connosco. Outra mentira é que a mulher solteira deveria estar a namorar por aí, como se procurar um marido fosse como fazer compras num shopping. Uma mentira ainda mais forte é que a mulher solteira deveria estar a dar o seu carinho indiscriminadamente para que se torne “mais experiente” e saiba como fazer quando finalmente encontrar o homem da sua vida. Tudo isso é uma mentira e uma afronta a Deus. Nós não precisamos ter experiência, nós só precisamos ser conhecedoras do que Deus disse e obedientes a isso. Nós não deveria estar à procura do homem da nossa escolha, mas deveríamos estar à espera pelo homem da escolha de Deus. E quando ele vier, não serão as experiências passadas que farão o seu casamento funcionar, mas os momentos de castidade, pureza e santidade. Deveríamos esconder os nossos rostos dos caminhos e experiências desse mundo perverso e buscar apenas aquilo que Deus colocou no caminho que Ele preparou para nós. Deus sabe exactamente o que nós precisamos e os desejos do nosso coração melhor do que nós mesmas. Deus ama surpresas. Ele não quer que nós procuremos pelo nosso futuro marido. Ele quer trazê-lo até nós e provavelmente quando menos esperarmos. Se desobedecermos a este conselho e passarmos a procurar por um parceiro, poderemos encontrar alguém, mas as chances são de que o alguém que encontrarmos, não ser o certo.
Como mulheres, a nossa natureza deseja a companhia e o companheirismo de um homem. Isso vem de Deus e é bom. Mas ao mesmo tempo, estamos erradas ao pensar que a morte será o resultado de essa necessidade não ser suprida. Necessitar de um companheiro não é como a necessidade de respirar. Ou seja, nós podemos sobreviver sem um companheiro pelo menos até que Deus tenha feito a sua perfeita obra em nós. Lembremos das Escrituras: “Deus é fiel e não permitirá que sejais tentados além de vossas forças.” (1 Coríntios 10:13)

Descobri que há duas razões para que alguém precise “desesperadamente” de outra pessoa. Em primeiro lugar, é porque não conhecem Deus como deveriam. Deus não é o Deus de todo o conforto? Cristo não é o Senhor que completa tudo em todo lugar? Então porque reclamamos sobre o quão vazias e sozinhas nos sentimos? É bem possível que Deus aumente o nosso tempo de celibato para que possamos encontrar vida n’Ele e aprendamos a ser completas n’Ele! Se buscamos casar-nos porque sentimos que um marido irá satisfazer as nossas vidas ou irá de alguma forma fazer-nos completas, seremos severamente desapontadas  no nosso casamento. Nenhum homem, não importa o quão parecido com Cristo, poderia de alguma forma tomar o lugar de Deus nas nossas vidas. Pensar em tal coisa é pura idolatria. Se não somos satisfeitas por Deus agora e completas em Cristo no presente, então nem sequer um casamento feito nos céus será capaz de mudar o nosso vazio. A segunda razão para a desesperada necessidade de alguém nas nossas vidas é o pleno egoísmo. Quando precisamos de alguém para  nos sentirmos amadas, ou quando precisamos de alguém para que os nossos sentimentos de solidão sejam dissipados, então estamos a querer o casamento pelas razões erradas. O matrimónio não deveria ser encarado como uma oportunidade de ter as nossas necessidades satisfeitas, mas de conhecer as necessidades do outro. Se não aprendemos a levar as nossas necessidades a Deus, então provavelmente vamos oprimir o nosso marido com as nossas próprias necessidades e nem sequer ter conhecimento das dele.  Por que motivo Deus deveria confiar um homem de Deus a uma mulher que está absorvida em si mesma e nas suas próprias necessidades, não usando da liberdade do seu celibato para servir a Deus e preparar-se para os propósitos d’Ele? Tal mulher teria pouco para oferecer a um homem de Deus!
Minha querida amiga, ser solteira, assim como ser casada, deveria ser considerado um tempo muito especial e desfrutado na providência de Deus. Não deveria ser considerada uma mera circunstância ou maldição da qual devemos tentar desesperadamente fugir. Ser solteira é um tempo para aprender sobre Deus e sobre nós mesmas, um tempo para descobrir quem nós somos em Cristo e como crescer na “aparência de Cristo”. É um tempo para ser zelosa por boas obras e envolvida em ministrar para os outros. Ser solteira tem uma “magia” própria que deve ser aproveitada, pois uma vez passado, não deve nunca mais retornar. Não há nada tão triste quanto uma mulher já casada arrepende-se por não ter feito o suficiente com a sua vida enquanto era solteira. Tudo foi perdido pelo intento de apressar-se em casar-se sem consideração pelo plano ou pela obra de Deus. Toda fase da vida tem a sua beleza. Que todas as cristãs solteiras possam aproveitar o seu tempo apesar das mentiras do mundo. Que elas possam ser exigentes e não ajustadas por nada menos que a perfeita vontade de Deus. Que elas possam esperar pacientemente em Deus que é o provedor de todo o bom e perfeito presente. Que elas possam ser como Ester, usando qualquer tempo que Deus julgue necessário para torná-las lindas por dentro e por fora.
Fonte: por Charo & Paul Washer; Titulo original: “Tornando-se Ester”
Anúncios

Lady nas tarefas domésticas

  Olá minha querida!
Bem vinda de novo aqui na nossa salinha de reunião, já estava com saudades. Sente-se amiga e fique à vontade, hoje fiz chá verde. Está uma delícia! Pode ir já saboreando uns deliciosos crepes com calda de chocolate quente…
Bem hoje eu gostaria de falar sobre limpezas, apesar de à partida parecer um assunto banal, é algo muito importante na vida de qualquer mulher que deseja ser prendada e uma Lady. Amiga você acha que uma Lady não se dá ao trabalho de limpar? Que deve ter empregadas? Mas isso não é ser Lady isso é ter dinheiro para pagar uma empregada. O dinheiro pode comprar muitas coisas mas ser uma Lady em todas as áreas da sua vida é algo que o dinheiro não compra. O que quero dizer é que dedicar-se à limpeza e manutenção do seu lar é uma tarefa muito nobre e não algo sujo ou inferior que jamais uma Lady faria, pelo contrário. Ter um lar acolhedor, limpo e cheiroso é algo muito chique e agradável tanto para quem vive nele, como para quem o visita. Não amiga, não digo com isto que sou uma maníaca das limpezas hehehe, pelo contrário. Toda a minha vida fui uma “couch potato”!
Sabia que ias perguntar o que isso significava. Pois bem,”Couch Potato” é uma pessoa muito preguiçosa que passa a vida sentada a ver tv, a dormir no sofá, ou seja, faz tudo menos esforço físico, alguém extremamente preguiçoso. Qualquer exercício físico para mim sempre foi um sacrifício imenso. As desculpas que eu usava para não fazer nada em casa eram as mais mirabolantes amiga!
O meu pai, que é adepto da cozinha, sempre quis me ensinar a cozinhar e dizia:
– Queres aprender a cozinhar? O pai ensina.
– Não pai eu não preciso de saber fazer nada no século XXI.- dizia eu pouco convencida.
– Mas isto são coisas que se aprende para a vida, tens que aprender, toda a gente tem que aprender.- dizia ele tentando me convencer.
Ao que eu respondia com um ar de desdém:
– Pai a Madonna também não sabe cozinhar e se ela não sabe eu também não tenho que saber!
(Pai) – …
Para veres amiga, antes de eu me ter tornado submissa à vontade de Deus, eu inventava cada história para não fazer nada que hoje até dá para rir.  Como seria a minha vida sem este novo passo de dedicar-me a ser uma futura boa dona de casa? Agora imaginei uma imagem na cabeça a preto e branco… eu com uma bata toda rota, uns rolos no cabelo, um lenço a segurar os rolos, um bebé ao colo a chorar destemidamente, e eu a tentar acalmá-lo num embalo frenético. Ao meu redor o caos total, roupas espalhadas por toda a parte, a casa toda suja, o meu marido sentado com um fato de treino sujo de gordura a gritar pelo jantar e eu a gritar revoltada ao mesmo ritmo do choro do bebé… Ewww NÃÃOOO!!!
Bem amiga para que isso não aconteça decidi começar a combater a minha preguiça e tornar-me mestre em limpezas! (Taram!)

Pensei em copiar a minha tia Adelina, uma verdadeira maníaca das limpezas, é incrível como ela não se cansa e tem sempre tudo limpinho em casa… mas depois lembrei-me da sua excessiva fobia por micróbios. Uma vez foi ao médico desesperada porque a pele dos lábios estava a cair, ela achava que já estava com uma doença qualquer… lá se descobriu que a pele estava a cair por ela estar constantemente a lavar os lábios com medo dos micróbios! Nah, um pouco maníaca demais… o que devo seguir é o meio termo e o equilíbrio, é isso que irei buscar.

Aii amiga inicialmente foi difícil, quem é um “couch potato” sabe que é, mas é preciso dar o primeiro passo, tornar a limpeza um hábito diário.
Apesar de já ter evoluído e de limpar com mais frequência quero chegar ao nível de ter a capacidade e energia de fazer uma limpeza completa diariamente.
Primeiramente, comprei umas luvas para dar um ar mais profissional hehehe, depois fui me desligando um pouco do pc (viciada eu!), e fui pondo a limpeza como um dos meus objectivos a atingir. Pedi vários conselhos e dicas à minha amiga Cristiane que é uma excelente dona de casa e entrei numa comunidade do orkut sobre limpeza para pedir umas dicas (claro que com um perfil fake não quero que ninguém por aí saiba da minha preguicite aguda) hehehe
Agora cada vez que limpo e olho para a casa toda impecável e limpinha sinto uma sensação de prazer e bem estar, e isso deve ser o mais importante, passar por cima das nossas limitações ou manias e com esforço atingir algo bem melhor para as nossas vidas.
Claro amiga que ainda não sou uma Lady em matéria de limpeza, há dias que limpo e depois fico uns quantos dias em coma sem me mexer a recuperar hehehe… é um hábito que vem com o tempo, o que é necessário é a persistência!
Vencendo a minha preguiça já imagino algo diferente: eu com um vestidinho rosa feminino, o meu bebé ao meu colo sorridente, a casa toda arrumada, limpinha e cheirosa, o meu marido todo arrumado e feliz a convidar-me para um passeio no parque (uma vez que a casa está toda nos trinques) ou então as minhas amigas a visitar-me e a ficar encantadas com a minha casa toda arrumadinha.
Portanto, ter um lar é uma grande responsabilidade, e na minha opinião a mulher deve esforçar-se ao máximo para construir e manter um lar feliz, acolhedor e saudável. Não é fácil construir uma família e mantê-la, todo o esforço e dedicação são necessários.
Em conclusão, a mulher que consegue edificar o seu lar dentro da limpeza e organização, com certeza é uma grande Lady 😉
Bem amiga está na hora de nos despedir-mos, foi muito agradável a nossa reunião, muitos beijinhos e até à próxima. Aguardarei ansiosa pela nossa próxima reunião^^

Por: Mafalda

HOMOSSEXUALIDADE/ Uma Afeição Antinatural

As escrituras afirmam q o comportamento homossexual é abomominação para Deus.Tal perverção do plano de Deus para o casamento,macula a imagem de Deus e distorce a unidade q planejou na união sexual entre homem e mulher.Eventualmente ele tbm frussta o nascimento de filhos,pondo fim ásgerações.

No antiigo testamento o Homossexualismo,q incluiu o lesbianismo,era proibido,considerado imundo e punivel com a morte.Paulo declara q este comportamento divergente,q é a antitési do modelo Divino,está sob julgamento do Senhor.

Deus oferece misericordia e perdão a pessoa q participou desse estilo de vida pecaminoso,mas os atos homossexuais são abomináveis e não pode ser tolerado por um Deus Santo.Embora alguns tenham alegado q a homossexualidade tem raizes na mutação genética.

Mesmo q fosse possivel apresentar razões para algum tipo de predisposição genética,isso não remove a responsabilidade moral nem torna certo tal comportamento.Todas as ações humanas estão sujeitas á vontade do individuo.Se colocarmos nossa propria vontade em sujeição ao plano de Deus para nossas vidas,qualquer tipo de comportamento pode ser mudado.O perdão,a graça e amisericordia de Deus estarão sempre disponivel.

Buscando santidade

“Porque esta é a vontade de Deus, a saber, a vossa santificação” (1 Tes. 4:3).

Dois homens conversavam sobre as experiências profundas da vida cristã. Um deles perguntou: “A santidade no coração é instantânea ou um processo?” O outro respondeu com uma pergunta: “Como você veio de sua cidade para este local?” “Eu vim de trem,” respondeu. “E o trem deu um salto e o colocou aqui nesta cidade?” “Oh, não,” disse ele, “ele foi me trazendo mais e mais até chegar aqui.” “Mas quando você embarcou no trem, como aconteceu? Foi aos poucos?” “Não, eu entrei de uma vez.” “Exatamente,” completou o ministro
religioso; “A entrada no trem foi instantânea; e a viagem, chegando cada vez mais próximo, para seu objetivo final, foi um processo.”

Ficamos, muitas vezes, inquietos e inseguros em nosso relacionamento com Deus. Questionamos nossa conversão e mostramo-nos descontentes por não sermos capazes, ainda, de viver uma vida santa e justa diante do Senhor a quem amamos e a quem entregamos o coração.

Gostaríamos de viver de tal forma que jamais pudéssemos entristecer a Deus com nossas atitudes. Ficamos apreensivos em relação à salvação e ao termos o nome escrito no Livro dos Céus.

Quando decidimos entregar a vida a Deus, aceitando a Cristo como nosso Senhor e Salvador, nossos pecados são perdoados e nos tornamos, nele, filhos de Deus. Ele começa, em nós, um processo de santificação para que cheguemos cada vez mais perto do centro de Sua vontade. Caminhando com Cristo, sob Sua graça e unção, poderemos glorificar mais e mais o Seu nome e alcançar a tão almejada santidade.

Comece a caminhar em santificação. Abra o coração e deixe Cristo entrar!

Revelações do Céu -Testemunho,Esau

(2 Corintios 12:2)
Conheço um homem em Cristo que há 14 anos – se no corpo ou fora do corpo eu não sei, Deus
sabe, foi arrebatado ao terceiro céu.

 

Nós estávamos no quarto, quando tivemos nossa primeira
experiência. O quarto começou a se encher com a luz da
presença do Senhor. Era uma luz tão poderosa que
iluminou o quarto inteiro. O quarto estava cheio da glória
de Deus, era tão lindo estar em Sua presença.
Jesus nos disse, “Meus filhos, agora eu vou lhes mostrar
Meu Reino, nós iremos para minha Glória.” Nós
pegamos as mãos uns dos outros e nos levantamos. Eu
olhei e percebi que nós estávamos saindo do nosso corpo.
Enquanto nós deixávamos nossos corpos, nós fomos
revestidos com vestimentas brancas e começamos a subir
numa velocidade muito rápida.
Nós chegamos de frente a um par de portas (que se abre do meio para fora) que era a entrada para o
Reino dos Céus. Nós estávamos surpresos com tudo aquilo que estava acontecendo conosco.
Felizmente, Jesus o Filho de Deus, estava lá também com dois anjos que tinham cada um quatro
asas.

Os anjos começaram a falar conosco, mas nós não entendíamos o que eles diziam. A linguagem
deles era muito diferente da nossa, e não era parecida com nenhuma linguagem terrestre. Esses
anjos estavam nos dando boas vindas e eles abriram aquelas imensas portas. Nós vimos um lindo
lugar, com muitas coisas diferentes. Quando nós entramos, uma paz perfeita encheu nossos
corações. A Bíblia nos fala que Deus nos daria a paz que excede todo o entendimento (Filipenses
4:7).
2
A primeira coisa que vi foi uma corsa, então eu perguntei uma das minhas amigas, “Sandra, você
está vendo a mesma coisa que eu?” Ela não estava mais chorando ou gritando, como quando nos
foi mostrado o Inferno. Ela estava sorrindo e disse: “Sim Esaú, eu estou vendo aquela corsa!”
Então eu sabia que tudo era real, nós estávamos realmente no Reino dos Céus. Todos os horrores
que nós vimos no Inferno foram esquecidos. Nós estávamos lá apreciando a glória de Deus. Nós
entramos onde a corsa estava, atrás dela, havia uma árvore imensa! A árvore estava no centro do
paraíso.
A Bíblia nos fala em Apocalipse 2:7 “Quem tem ouvidos ouça o que o Espírito diz as igrejas.
Aquele que vencer eu lhe darei de comer do fruto da árvore da vida que se encontra no meio do
paraíso de Deus. “
Esta árvore é um símbolo de Jesus, porque O Cristo é a Vida Eterna. Atrás da árvore estava o rio de
águas cristalinas. O rio era tão limpo e maravilhoso como nós nunca tínhamos visto antes, coisa
igual, na terra. Nós apenas queríamos ficar naquele lugar. Muitas vezes nós falamos ao
Senhor, “Senhor, por favor! Não nos tire deste lugar! Nós queremos ficar aqui para sempre! Nós
não queremos voltar para a terra!” O Senhor nos respondeu, “É necessário que vocês voltem e
dêem testemunho de todas as coisas que eu preparei para aqueles que Me amam porque Eu
voltarei em breve e minha recompensa está comigo.”

Quando nós vimos o rio, nós corremos e entramos nele. Nós nos lembramos da palavra de Deus que
fala que todo aquele que crê no Senhor, rios de água viva fluirão do seu interior. (João 7:38) A água
deste rio parecia ter vida própria, e nós decidimos mergulhar nele. Dentro e fora d’água nós
podíamos respirar normalmente. O rio era muito fundo e havia peixes de várias cores naquele
lugar. A luz dentro e fora do rio era normal; no Céu a luz não vem de um lugar específico, tudo
simplesmente brilhava. A Bíblia nos fala que o Senhor Jesus é a luz desta cidade (Apocalipse
21:23). Com nossas mãos, nós tiramos alguns peixes de dentro d’água; e eles não morreram. Então
nós corremos até ao Senhor e perguntamos a ele o porquê daquilo. O Senhor sorriu e respondeu que
no Céu não havia mais morte, nem choro, nem dor. (Apocalipse 21:4)
Nós deixamos o rio e corremos para cada lugar que pudemos encontrar, nós queríamos tocar e
experimentar tudo. Nós queríamos levar tudo conosco para casa, porque nós estávamos
maravilhados pelas coisas do Céu. Simplesmente não é possível descrever detalhadamente em
palavras. Quando o apóstolo Paulo foi levado ao Céu, ele viu coisas que não podiam ser descritas
em palavras, por causa da grandeza das coisas do Reino dos Céus. (2 Coríntios 12) Existem coisas
que nós vimos que nós praticamente não temos meio de explicar.
Nós, então, chegamos a uma grande área; um lugar maravilhoso. Esse lugar estava cheio de pedras
preciosas: ouro, esmeraldas, rubis e diamantes. O piso era de puro ouro. Nós, então, entramos em
um lugar onde havia três grandes livros. O primeiro livro era uma Bíblia feita de puro ouro. Em
Salmos fala que a Palavra de Deus é eterna e que Sua Palavra permanece no Céu eternamente.
(Salmos 119:89) Nós estávamos olhando para uma grande Bíblia de ouro; as páginas, a escritura,
tudo era feito de puro ouro.
O Segundo livro que nós vimos era ainda maior que a Bíblia. Ele estava aberto e um anjo estava
sentado lá escrevendo dentro do livro. Juntos com o Senhor Jesus, nós chegamos perto para ver o
que o anjo estava escrevendo. O anjo estava escrevendo todas as coisas que estavam acontecendo na terra. Tudo que estava acontecendo; incluindo a data, hora, tudo estava gravado lá. Isto é feito para que a Palavra de Deus se cumpra onde diz que os Livros foram abertos, e que os povos da terra
foram julgados segundo seus trabalhos que estavam escritos nestes livros (Apocalipse 20:12). O
anjo estava escrevendo todas as coisas que as pessoas estavam fazendo aqui na terra, boas ou más,como estava escrito.


Nós continuamos a ir até o lugar onde estava o terceiro livro. Ele era ainda maior que o ultimo livro!
O livro estava fechado, mas nós chegamos perto dele. Todos nós, os sete, pegamos juntos o livro de
onde ele estava Segundo a ordem do Senhor, e nós o colocamos num pilar.
Os pilares e as colunas no Céu são maravilhosos! Elas não são feitas como as da terra. As colunas
eram como tranças, feitas de diferentes pedras preciosas. Algumas eram feitas de diamantes, outras
eram feitas de pura esmeralda, outras eram feitas de puro ouro, e outras eram feitas de uma
combinação de vários tipos de diferentes pedras. Eu então entendi que Deus é realmente dono de
todas as coisas, como está escrito em Amós 2:8, “Meu é o ouro, e minha é a prata.” Eu entendi que
Deus é absolutamente rico e que a Ele pertence toda a riqueza do mundo. Eu também entendi que
tudo que há no mundo pertence ao nosso Deus e que Ele quer dar para aqueles que pedem a Ele
com fé.
O Senhor disse, “Pede-me e te darei as nações por herança.” (Salmos 2:8) Este livro que nós
colocamos na coluna era tão grande que, para virarmos uma página nós tínhamos que caminhar
cada página até o outro lado do livro. Nós tentamos ler o que havia no livro, como o Senhor nos
pediu. Inicialmente, era difícil de ler porque estava escrito com caracteres estranhos que nós não
podíamos entender. Era mais diferente do que qualquer linguagem Terrestre; era algo totalmente
Celestial. Mas com a ajuda do Espírito Santo, nos foi dada a graça de entender. Era como se tirasse
um véu de nossos olhos e então nós pudemos entender o que estava escrito; claro como nosso
próprio idioma.
Nós podíamos ver que todos os nossos sete nomes estavam escritos. O Senhor nos disse que era o
Livro da Vida. (Apocalipse 3:5) Nós percebemos que os nomes escritos no livro não eram os
nomes que éramos chamados na terra; estes nomes eram novos, então pôde se cumprir a Palavra de
Deus que diz que Ele daria um novo nome que ninguém sabia, senão a pessoa que o recebe.
(Apocalipse 2:17)

No Céu, nós éramos capazes de pronunciar nossos nomes, mas uma vez que o Senhor trouxe-nos de
volta a terra, aqueles nomes foram tirados de nossas memórias e de nossos corações. A Palavra de
Deus é eterna, e tem que ser cumprida. Meus amigos, a Bíblia diz, (Apocalipse 3:11) Não deixe
ninguém pegar sua coroa, não deixe ninguém te usurpar ou remover o lugar que o Pai tem para
você. No Céu, existe milhões de coisas que são maravilhosas, nós simplesmente não podemos
expressar com nossas bocas. Mas eu quero te dizer algo, “Deus está esperando por você!” Contudo,
somente aquele que perseverar até o fim que será salvo! (Marcos 13:13)

Navegação de Posts