♕ Blog da Ingrid Dirgni ♕

Just another WordPress.com weblog

Arquivo para o mês “dezembro, 2011”

2012

“E já está próximo o fim de todas as coisas; portanto sede sóbrios e vigiai em oração”. (1Pedro 4.7)

“2012”! Muito tem-se falado desse ano e muitos prognósticos foram e estão sendo feitos a respeito dessa data como sendo um ano de desastres globais, acontecimentos místicos e apocalípticos.

Tudo isso por conta da indústria cinematográfica, os canais de comunicação, a TV e principalmente a Internet. No YouTube, por exemplo, é possível ver dezenas e centenas de vídeos dessa categoria falando sobre o fim dos tempos, vídeos como “A Chegada” e os “Iluminatis”. Essa avalanche de informação audiovisual contém nela um misto de ficção científica, informações secretas e ocultas extraídas não se sabe de onde e também profecias de textos bíblicos. Com certeza isso tem mexido com a Igreja, pois essa também está totalmente atualizada dentro dos padrões tecnológicos de hoje, logo tudo isso está levando os cristãos a ficarem focados nesse tipo de informação.

Estamos vendo uma geração que acompanha cada passo da mídia, a cada dia novos vídeos são publicados tratando desses assuntos, tendo milhões de adeptos e seguidores no mundo todo. São milhares de informações ao mesmo tempo a esse respeito, que estão deixando a grande maioria confusa, levando invariavelmente a fazermos associações  sobre esses assuntos com os textos bíblicos, o Evangelho e o final dos tempos.

Entretanto, o que há de verdade em tudo isso? O que vai acontecer no ano de 2012?

O que eu posso lhe dizer é que a vida do cristão tem que ser pautada somente nas Escrituras, e elas realmente nos dão sinais de eras vindouras e do final de todas as coisas, mas não dizem nada a respeito de 2012.

O que eu vejo em toda essa parafernália audiovisual, falando de “Iluminatis”, “Nova Era” e etc., não é nada mais que especulações, hipóteses e até estórias recheadas de ficção, que não contribuem muito para edificação da Igreja.

Veja só: a Palavra diz que o mundo “jaz no maligno” (1Jo 5.19), ou seja, quem controla todo esse sistema mundano é Satanás. Ele é quem está por trás da maioria desses temas, até mesmo as informações que são “vazadas” dos planos que tais organizações ou governos tenham e que nós temos acesso são controladas pelo diabo e o seu sistema.

Ou seja, esses vídeos que temos acesso e essas “informações secretas” que vêm à tona –  que parecem desvendar seus planos e permitir que todos saibam que o que Diabo, e a “Nova Ordem Mundial” estão fazendo – tratam-se de dados manipulados e forjados.

Pense: que propósito Satanás teria em revelar seus planos e permitir que todos tenham conhecimento para que eles sejam frustrados? Absolutamente nenhum! Na verdade até as “informações verdadeiras” não passam de enganos, armadilhas, algo conhecido como “cortina de fumaça”, para que as pessoas se iludam e gastem suas forças contra algo inútil!

Portanto, querido(a), meu desejo é que você abra seus olhos, porque eu sei que milhares de cristãos estão viciados, hipnotizados e mesmo presos a essas informações, ditando suas vidas segundo elas. Isso está fazendo com que os cristãos fiquem estagnados na sua fé, na sua vida espiritual, no seu relacionamento devocional com Deus, criando cristãos que são controlados e manipulados pela mídia e pela era digital.

O que eu tenho a dizer a você acerca de 2012?

Na verdade é mais um ano como os outros que já houveram antes, apenas mais avançado. Tudo que for ocorrer está na soberania de Deus.

Sim, Jesus está próximo de voltar. Sim, as profecias estão se cumprindo, mas o nosso termômetro, base e razão de fé são as Escrituras, e o que nós devemos fazer é nos consagrar, nos doar a Ele – o capitão da nossa salvação – procurando amá-Lo de todo o nosso coração, conhecendo e obedecendo fielmente os Seus mandamentos.

Deixemos essas especulações e essas ficções de lado e voltemos à fé simples baseada somente nas Escrituras. É possível que você tenha muita informação bíblica, acadêmica e cultural; talvez saiba muito dos planos da “Nova Ordem Mundial”, de Satanás e dos “Iluminatis”, mas o quanto você sabe da pessoa de Jesus Cristo? O quanto você conhece e tem se dedicado às Escrituras? O quanto você tem praticado o que conhece? Tem exercitado a piedade, o amor ao próximo e o amor a Deus? Quanto tem crescido em santificação? Quantas horas tem passado de joelhos diante de Deus, por dia, acompanhadas de jejuns?

Isso é o que realmente importa! Conhecê-Lo e ser conhecido Dele. É isso que eu espero para você em 2012. É isso que eu quero que você projete e busque em 2012: crescer à estatura de Cristo, se conformar à Sua imagem, amá-Lo sobre todas as coisas. Desejo que seja despertado em você um amor pelos perdidos, uma paixão pelos pecadores, que o espírito evangelístico venha até você e o leve a pregar o Evangelho como nunca nesse próximo ano. Que ganhe almas e que se regozije ao vê-las salvas e sendo edificadas na verdade. E, que muitas dessas almas, quando o fim chegar, se encontrem salvas através do trabalho de suas mãos.

Pr Paulo Junior- Igreja Aliança do Calvario

Anúncios

Os Cincos Ministerios

”E ele mesmo deu uns para apóstolos, e outros para profetas, e outros para evangelistas, e outros para pastores e doutores,
Querendo o aperfeiçoamento dos santos, para a obra do ministério, para edificação do corpo de Cristo;
Até que todos cheguemos à unidade da fé, e ao conhecimento do Filho de Deus, a homem perfeito, à medida da estatura completa de Cristo,
Para que não sejamos mais meninos inconstantes, levados em roda por todo o vento de doutrina, pelo engano dos homens que com astúcia enganam fraudulosamente.”
(Efésios 4:11-14)

APOSTOLO: Ele estabelece o fundamento da igreja.

PROFETA: Ele é um porta-voz de Deus, traz direção ao povo.

EVANGELISTA: Ele anuncia o evangelho do Reino de Deus.

PASTOR: Cuida, apascenta, alimenta o rebanho de Deus.

MESTRE: Ele tem o Don de ensinar as escrituras de maneira clara e perfeita.

”Antes, seguindo a verdade em amor, cresçamos em tudo naquele que é a cabeça, Cristo,
Do qual todo o corpo, bem ajustado, e ligado pelo auxílio de todas as juntas, segundo a justa operação de cada parte, faz o aumento do corpo, para sua edificação em amor.”
(Efésios 4:15-16)

FOMOS CHAMADOS À COMUNHÃO COM CRISTO

 

“Deus é fiel e chamou vocês para que vivam em comunhão com o seu Filho Jesus Cristo, nosso senhor”. 1 Coríntios 1.9

Paulo afirmou: “Deus é fiel”. Toda a nossa salvação descansa na fidelidade do Deus da aliança. Nossa fé e perseverança se fundamentam neste glorioso atributo de Deus. Somos instáveis como o vento, frágeis como uma teia de aranha, volúveis como a água. Porém DEUS É FIEL.

Não podemos depender de nossas qualidades naturais ou de nossas aquisições espirituais. Mas podemos e devemos depender da fidelidade de Deus.

Algumas características de Sua fidelidade:

  • Deus é fiel em seu amor: que não conhece qualquer variação, nem sombra de mudança.

  • Deus é fiel aos seus propósitos: não começa uma obra e a deixa inacabada.

  • Deus é fiel em seus relacionamentos: como Pai, não abandonará seus filhos; como amigo não negará seu povo;como Criador, não esquecerá a obra de suas mãos.

  • Deus é fiel à sua aliança, que estabeleceu conosco em CristoJesus e ratificou com o sangue de seu sacrifício.

  • Deus é fiel ao seu Filho e não permitirá que o sangue dEle tenha sido derramado em vão.

  • Deus é fiel ao seu povo, ao qual Ele prometeu a vida eterna e do qual jamais se afastará.

 

Esta fidelidade de Deus é o fundamento de nossa fé e esperança de perseverarmos até ao final.

Nós vamos perseverar em santidade, porque Deus se mantém perseverante em graça. Este é o solo firme e excelente sobre o qual podemos descansar. É essa graça, esse favor gratuito e a infinita misericórdia do Pai que nos levam a salvação em Cristo e a uma vida de plena comunhão com ELE.

 

  1. Paulo nos recorda que Deus nos chamou “à comunhão de seu Filho, Jesus Cristo”.

Em 1 Tes. 5:23-24 = “Que Deus, que nos dá a paz, faça com que voces sejam completamente dedicados a ele. E que Ele conserve o espírito, a alma e o corpo de vocês livres de toda mancha, para o dia em que vier o nosso Senhor Jesus Cristo. Aquele que os chama é fiel e fará isso.”

E esse chamado não pode ser anulado, “porque os dons e a vocação de Deus são irrevogáveis” (Rm 11.29). O Senhor jamais retrocede da chamada eficaz de sua graça. Romanos 8.30 diz: “E aos que chamou, a esses também justificou; e aos que justificou, a esses também glorificou” — esta é a norma invariável do procedimento de Deus.

  1. Esta é uma chamada que prenuncia amor especial e envolve a posse daquilo para o que fomos chamados. Nesse caso, acontece com os chamados o mesmo que ocorreu com a descendência de Abraão, sobre a qual o Senhor declarou: “ Mas agora, povo de Israel, o Senhor Deus que o criou diz: Não tenha medo, pois eu o salvarei; eu o chamei pelo seu nome, e voce é meu. Quando voce atravessar águas profundas eu estarei do seu lado, e voce não se afogará. Quando passar pelo meio do fogo, as chamas não o queimarão. Pois eu sou o Senhor seu Deus…, o seu Salvador. Não tenha medo, eu estou com voce. (Is 43.1- 5).

Ele nos chamou “à comunhão de seu Filho, Jesus Cristo”. Note que o Pai nos chama, não obriga, não força… Não é da natureza do amor forçar um relacionamento, mas é da natureza do amor abrir o caminho.   Jesus veio para nos dar à vida na totalidade: SUA VIDA.

A SIMPLICIDADE E A PUREZA DE DESFRUTAR DE UMA AMIZADE CONSTANTE.

 

  1. Pense demoradamente nesta união com o Filho de Deus, à qual você foi chamado, porque toda a nossa esperança está nesta união. Neste companheirismo, nessa parceria, você é levantado a uma posição que supera a depressão dos tempos, as mudanças do futuro e o colapso do fim de todas as coisas. Deus nos chamou à comunhãode seu Filho, Jesus Cristo, e por meio desta chamada nos colocou no lugar de segurança infalível.

Nosso Deus fiel é um manancial transbordante de deleites, e nossacomunhão com o Filho de Deus é um rio transbordante de regozijo.

CONSIDERAÇÕES FINAIS

Viver em comunhão com Cristo é um desafio constante

A palavra ‘’comunhão’’, do Grego ‘’koinonia”, tem um significado muito especial. Ela nos leva a pensar em “co-participação”, ou seja, “participar juntos”. Ser um com Jesus ou estar unido a Jesus significa:perdoar uns aos outros, amar uns aos outros, ajudar uns aos outros, orar uns pelos os outros, considerar uns aos outros, levar os fardos uns dos outros e assim por diante.

Para que pratiquemos a verdadeira comunhão, somos desafiados a nos “desarmar” do nosso individualismo, independencia e egocentrismo. SER UM SEGUIDOR DE CRISTO SIGINIFICA MATAR A NOSSA INDEPENDENCIA.

A Bíblia ensina: “Porque nenhum de nós vive para si, e nenhum morre para si. Se vivemos, é para o Senhor que vivemos; e, se morremos, também é para o Senhor que morremos. Assim, tanto se vivemos como se morremos, somos do Senhor.” (Rm 14.7-8).

Pra. Ielane Mendonça

Conhecer a Deus

 O homem tem inumeras necessidade. Temos necessidades de comer, beber, dormir, temos necessidades fisiológicas, sexuais… Mas por mais inumeras e grandes q sejam as nossas necessidades. A maior necessidade do homem é conhecer a Deus e andar com Ele. Esta é a razão do nosso existir, isto nos satisfaz.

  Corremos de um lado para outro procurando nos satisfazer em coisas, cargos, finanças, relacionamentos. Mas tudo isso é em vão, é um engano. Pois a nossa satisfação de vida está em Deus.

“Assim diz o Senhor: Não se glorie o sábio em sua sabedoria nem o forte em sua força nem o rico em sua riqueza, mas quem se gloriar, glorie-se nisto: em compreender-me e conhecer-me, pois eu sou o Senhor e ajo com lealdade, com justiça e com retidão sobre a terra, pois é dessas coisas que me agrado, declara o Senhor”.

JEREMIAS 9.23,24

A gloria do homem é conhecer a Deus, não falo de um conhecimento intelectual, nem de ouvir falar. Mas falo de uma revelação plena, uma experiencia pessoal, um relacionamento intimo. Por isso não amamos a Deus como deveriamos, porque temos falhado em conhece-lo. Não podemos amar alguem que não conhecemos.

”Então conheçamos, e prossigamos em conhecer ao SENHOR”

OSEIAS 6.3

  Aproxime-se do Senhor! Para nos tornar íntimos de uma pessoa, é necessário nos aproximarmos dela, falar com ela, e ouvi-la. Não deixe de buscar ao Senhor. Buscar é se esforçar, dedicar-se. Ter uma vida de oração, manter contato com a bíblia todos os dias, é essencial para se aproximar de Deus. ESFORÇA-TE! A salvação do homem está em conhecer a Deus.

POR: Ingrid Dirgni

Tornando-se Ester

“E chegando o prazo de cada moça vir ao rei Assuero, depois de tratada segundo as prescrições para as mulheres, por doze meses (porque assim se cumpriam os dias de seu embelezamento, seis meses com óleo de mirra e seis meses com especiarias e com perfumes e unguentos em uso entre as mulheres), então, é que vinha a jovem ao rei…” (Ester 2:12-13)

Eu sempre fico abismada com o tipo de preparação que a futura rainha Ester teve que passar antes que fosse apta para se apresentar ao rei Assuero. Alguma de nós estaria disposta a passar por doze meses de tratamento de beleza antes de conhecer o homem dos nossos sonhos? Imagina um ano separado com apenas um único propósito: tornar-se tudo o que for capaz de ser para aquele a quem mais ama. Tempo precioso para cultivar beleza, fazer investimentos em educação e etiqueta, fortalecer virtudes e construir carácter. A preparação de Ester lembra-me daquele precioso tempo entre o despertar do desejo no coração de uma jovem mulher de compartilhar a sua vida com um companheiro e o momento em que sobe ao altar. Para muitas, esse tempo de preparação é visto como nada mais que um tempo de espera. Mulheres solteiras frequentemente vêem-se si mesmas como sentadas na prateleira enquanto a vida passa por elas, ou sentadas no banco enquanto outras jogam. Não percebem que estão a desperdiçar o período mais importante das suas vidas, estão a privar-se a si mesmas de grandes alegrias e recompensas, privando os seus futuros maridos de ter uma mulher mais virtuosa e de Deus ter uma serva através da qual Ele deseja fazer coisas grandiosas.

Assim como Ester teve que preparar-se antes que pudesse ser rainha de um reino inteiro, a mulher cristã também deve estar preparada antes que possa embarcar num dos mais importantes e difíceis chamados na vida: O matrimónio e a maternidade. Ester teve que aprender os costumes do reino em que vivia, aprendendo por isso as práticas da vida na corte e os desafios intelectuais, emocionais e espirituais da posição superior. Para simplificar, Ester tinha que ser convertida de uma jovem moça a uma rainha. Da mesma forma, a mulher cristã solteira deve aprender os costumes do Reino dos Céus antes mesmo de casar-se com aquele que Deus está a preparar para ela. Ela deve estar preparada intelectualmente, emocionalmente e espiritualmente, não por um representante da corte nalgum templo pagão, mas pelo próprio Deus, através da Sua Palavra e por outras mulheres de Deus que foram preparadas antes dela.

O celibato não é um desperdício de tempo ou uma condenação a ficar sentada no banco, mas um tempo que Deus separou especialmente para fazer da mulher o que Ele quer que ela seja e usá-la de formas que poderiam ser impossíveis após o casamento. O celibato é um tempo no qual uma mulher deve cultivar as virtudes que pertencem a uma mulher de Deus, para assim poder oferecer ao seu futuro marido e ao mundo algo mais do que apenas um rosto bonito. Lembra-te que no teu celibato tu não és a única solteira, mas o teu futuro marido está a passar pelo mesmo estágio que tu. Não seria terrível finalmente conhecer o homem que irá tornar-se o teu marido e descobrir que ele usou o seu próprio celibato para servir a Deus e preparar-se para ser um marido melhor para ti, enquanto que tu não usas-te a liberdade do teu celibato para servir ao Senhor? Temos que aprender a aproveitar as vantagem do treinamento que Deus nos ofereceu. Também não seria terrível perceber que o teu marido passou os seus dias como homem solteiro orando diariamente pelas tuas necessidades e pela obra de Deus na tua vida, enquanto tu nem sequer oras-te por ele, nem respondes-te à graça de Deus que te foi dada como um resultado das orações dele? É algo maravilhoso quando Deus abençoa uma mulher com um marido. Aquele alguém especial é “simplesmente perfeito” para ela, o qual foi, de uma forma cuidadosa e pensativa, desenhado por Deus para ser um em união com ela. É tamanho o prazer para a mulher, olhar para trás e lembrar como Deus a capacitou para esperar n’Ele e que Ele foi fiel em abençoá-la. É ainda maior o prazer para ela saber que seu tempo como uma mulher solteira foi também um tempo de buscar a Deus e ser fiel a Ele no seu propósito. Que não quis nem por um momento fugir daquele estado, mas desejou apenas confiar em Deus e esperar na sua graciosa soberania. De nenhuma maneira é uma tragédia ser uma mulher cristã solteira, mas o caminho do mundo mais uma vez se infiltrou na Cristandade com a falsa ideia de que é uma tragédia ser solteiro.

Uma das maiores mentiras que se ouve é que se não “temos alguém” ou não estamos à “procura de alguém”, há algo de errado connosco. Outra mentira é que a mulher solteira deveria estar a namorar por aí, como se procurar um marido fosse como fazer compras num shopping. Uma mentira ainda mais forte é que a mulher solteira deveria estar a dar o seu carinho indiscriminadamente para que se torne “mais experiente” e saiba como fazer quando finalmente encontrar o homem da sua vida. Tudo isso é uma mentira e uma afronta a Deus. Nós não precisamos ter experiência, nós só precisamos ser conhecedoras do que Deus disse e obedientes a isso. Nós não deveria estar à procura do homem da nossa escolha, mas deveríamos estar à espera pelo homem da escolha de Deus. E quando ele vier, não serão as experiências passadas que farão o seu casamento funcionar, mas os momentos de castidade, pureza e santidade. Deveríamos esconder os nossos rostos dos caminhos e experiências desse mundo perverso e buscar apenas aquilo que Deus colocou no caminho que Ele preparou para nós. Deus sabe exactamente o que nós precisamos e os desejos do nosso coração melhor do que nós mesmas. Deus ama surpresas. Ele não quer que nós procuremos pelo nosso futuro marido. Ele quer trazê-lo até nós e provavelmente quando menos esperarmos. Se desobedecermos a este conselho e passarmos a procurar por um parceiro, poderemos encontrar alguém, mas as chances são de que o alguém que encontrarmos, não ser o certo.

Como mulheres, a nossa natureza deseja a companhia e o companheirismo de um homem. Isso vem de Deus e é bom. Mas ao mesmo tempo, estamos erradas ao pensar que a morte será o resultado de essa necessidade não ser suprida. Necessitar de um companheiro não é como a necessidade de respirar. Ou seja, nós podemos sobreviver sem um companheiro pelo menos até que Deus tenha feito a sua perfeita obra em nós. Lembremos das Escrituras: “Deus é fiel e não permitirá que sejais tentados além de vossas forças.” (1 Coríntios 10:13)

Descobri que há duas razões para que alguém precise “desesperadamente” de outra pessoa. Em primeiro lugar, é porque não conhecem Deus como deveriam. Deus não é o Deus de todo o conforto? Cristo não é o Senhor que completa tudo em todo lugar? Então porque reclamamos sobre o quão vazias e sozinhas nos sentimos? É bem possível que Deus aumente o nosso tempo de celibato para que possamos encontrar vida n’Ele e aprendamos a ser completas n’Ele! Se buscamos casar-nos porque sentimos que um marido irá satisfazer as nossas vidas ou irá de alguma forma fazer-nos completas, seremos severamente desapontadas no nosso casamento. Nenhum homem, não importa o quão parecido com Cristo, poderia de alguma forma tomar o lugar de Deus nas nossas vidas. Pensar em tal coisa é pura idolatria. Se não somos satisfeitas por Deus agora e completas em Cristo no presente, então nem sequer um casamento feito nos céus será capaz de mudar o nosso vazio. A segunda razão para a desesperada necessidade de alguém nas nossas vidas é o pleno egoísmo. Quando precisamos de alguém para nos sentirmos amadas, ou quando precisamos de alguém para que os nossos sentimentos de solidão sejam dissipados, então estamos a querer o casamento pelas razões erradas. O matrimónio não deveria ser encarado como uma oportunidade de ter as nossas necessidades satisfeitas, mas de conhecer as necessidades do outro. Se não aprendemos a levar as nossas necessidades a Deus, então provavelmente vamos oprimir o nosso marido com as nossas próprias necessidades e nem sequer ter conhecimento das dele. Por que motivo Deus deveria confiar um homem de Deus a uma mulher que está absorvida em si mesma e nas suas próprias necessidades, não usando da liberdade do seu celibato para servir a Deus e preparar-se para os propósitos d’Ele? Tal mulher teria pouco para oferecer a um homem de Deus!

Minha querida amiga, ser solteira, assim como ser casada, deveria ser considerado um tempo muito especial e desfrutado na providência de Deus. Não deveria ser considerada uma mera circunstância ou maldição da qual devemos tentar desesperadamente fugir. Ser solteira é um tempo para aprender sobre Deus e sobre nós mesmas, um tempo para descobrir quem nós somos em Cristo e como crescer na “aparência de Cristo”. É um tempo para ser zelosa por boas obras e envolvida em ministrar para os outros. Ser solteira tem uma “magia” própria que deve ser aproveitada, pois uma vez passado, não deve nunca mais retornar. Não há nada tão triste quanto uma mulher já casada arrepende-se por não ter feito o suficiente com a sua vida enquanto era solteira. Tudo foi perdido pelo intento de apressar-se em casar-se sem consideração pelo plano ou pela obra de Deus. Toda fase da vida tem a sua beleza. Que todas as cristãs solteiras possam aproveitar o seu tempo apesar das mentiras do mundo. Que elas possam ser exigentes e não ajustadas por nada menos que a perfeita vontade de Deus. Que elas possam esperar pacientemente em Deus que é o provedor de todo o bom e perfeito presente. Que elas possam ser como Ester, usando qualquer tempo que Deus julgue necessário para torná-las lindas por dentro e por fora.

Fonte: por Charo & Paul Washer; Titulo original: “Tornando-se Ester”

Navegação de Posts