♕ Blog da Ingrid Dirgni ♕

Just another WordPress.com weblog

Arquivo para o mês “dezembro, 2012”

NATAL- Época de celebração, pela chegada do nosso Salvado; JESUS

Saudações a você e seus amados nessa época de Natal.

Uma das coisas que mais gosto sobre o Natal é o fato de que todo o mundo volta a lembrar de um pequeno bebê em
uma manjedoura que passou por aqui há uns dois mil anos. Acreditando Nele ou não, as pessoas ainda assim reconhecem
Jesus como o Filho de Deus, que veio ao mundo – PARA SALVÁ-LO. E muitas famílias se reúnem para participar da
celebração durante essa época especial de Natal e Ano Novo.

Quando vejo o cenário da manjedoura, com Maria carregando o bebê Jesus nos braços, não deixo de pensar que
dentre todas as mulheres nascidas, Maria sempre será a única que ocupou um lugar especial. E foi isso que ela deu ao mundo:
O FILHO DE DEUS. Ela tornou possível a vinda Dele, e por isso, eu sempre serei agradecido.
Foi o anjo Gabriel que apareceu para Maria e lhe disse o quão abençoada ela era dentre as mulheres. Em Lucas 1:35,
ele disse: Descerá sobre ti o Espírito Santo, e a virtude do Altíssimo te cobrirá com a sua sombra; por isso também o
Santo, que de ti há de nascer, será chamado Filho de Deus. Então, Maria realmente se tornou a porta através da qual
Jesus entraria nesse mundo.

Muitas vezes quando Jesus ensinou coisas difíceis de entender, Ele utilizou parábolas, pois são uma forma de ilustrar
algo espiritual para entendermos com nossa mente natural. Essas parábolas freqüentemente excedem barreiras culturais, ao
usarem exemplos comuns, como as aves do céu, os lírios do campo e o pastor das ovelhas.
Assim, em João 10:1,2, quando Jesus utilizou a parábola do pastor das ovelhas, ELE ERA O PASTOR E NÓS, AS
OVELHAS.

Na verdade, na verdade vos digo que aquele que não entra pela porta no curral das ovelhas, mas sobe por
outra parte, é ladrão e salteador.Aquele, porém, que entra pela porta é o pastor das ovelhas.
O curral das ovelhas era um cercado onde elas eram mantidas a salvo. Ele possuía apenas uma entrada, uma porta pela
qual as ovelhas entravam e saiam. Contudo, o curral ao qual Jesus se referia nesses versículos era a humanidade.
Veja, todos nós estávamos em um curral, cercados pela morte espiritual, que é a natureza do pecado, e não tínhamos
como escapar. Para poder nos salvar, Jesus teve de entrar pela primeira porta – vestindo-se de humanidade – a fim de poder
abrir a segunda porta, que nos libertaria da morte espiritual. Foi por isso que Ele disse no versículo 9, Eu sou a porta; se
alguém entrar por mim, salvar-se-á, e entrará, e sairá, e achará pastagens.

Maria proveu a primeira porta, e a Cruz proveu a segunda. Jesus teve de entrar pela primeira porta para poder abrir a
segunda! Por essa razão Ele disse no primeiro versículo, aquele que não entra pela porta no curral das ovelhas, mas sobe
por outra parte, é ladrão e salteador. Em João 14:6, Jesus disse, Eu sou o caminho, e a verdade e a vida; NIGUÉM
VEM AO PAI SENÃO POR MIM. Não há outra porta para Deus sem ser Jesus! Ele é nossa única saída.
Qualquer um que oferecer salvação através de outra porta é um ladrão e salteador e roubará nossa esperança de
salvação. Mais uma vez, Jesus disse em João 10:9, Eu sou a porta; se alguém entrar por mim, salvar-se-á, e entrará, e
sairá, e achará pastagens.

Sou extremamente agradecido – mais do que nunca. Somos muito mais para Deus do que um projeto de recuperação.
João disse, Vede quão grande amor nos tem concedido o Pai, que fôssemos chamados filhos de Deus. Por isso o
mundo não nos conhece; porque não o conhece a ele. (1 João 3:1) Éramos família de Deus, e Ele nos perdeu. No
entanto, Ele NÃO desistiu de nós.

Então, quando você ouvir canções de Natal sobre Jesus, Maria, os anjos e os sábios, pense no seguinte: tudo isso foi
por nós. Ele veio por mim e por você. O cristianismo não é uma religião – é uma família. E enquanto você estiver celebrando,
lembre: tudo mudou no dia em que Jesus veio a esse mundo; aquele dia mudou o curso do universo, de nosso planeta. Nada,
em toda a criação, permaneceu igual.

Em breve, Deus reunirá a todos nós com Ele em um novo Céu e uma nova Terra, mas, enquanto isso, deleite-se em
sua família e bons amigos. Eles são a melhor coisa que essa vida tem a oferecer. E não se esqueça de nossos irmãos perdidos
que não conhecem Jesus. Lembre-se sempre de que somos família Dele.
Que você tenha seu melhor Natal e um feliz Ano Novo!

Seu amigo e colaborador,
DAVE ROBERSON

Anúncios

O Deus da Aliança Odeia o Divórcio

“Não aguento mais viver com ele(a)!”
Esta frase vem de casais, que após várias discussões, brigas e tentativas inglórias de salvar o casamento, entregam os pontos e partem rumo à separação. As estatísticas afirmam que dez anos atrás, havia menos de 100.000 divórcios no Brasil. Hoje são cerca de 200.000, e de cada dez casamentos em pelo menos um deles um dos cônjuges está se casando pela 2ª vez. Neste artigo, quero refletir com o leitor sobre o divórcio e gostaria de fazê-lo respondendo a três perguntas:

I) O que é o casamento aos olhos de Deus?
II) O que Deus pensa do divórcio?
III) Quais as causas do divórcio?

I – O que é o casamento?

Não há como discutir a questão do divórcio, sem antes entendermos biblicamente o casamento. Podemos afirmar que ele é uma instituição que nasceu no coração de Deus. Este é um princípio bíblico sobre o casamento – ele foiordenado por Deus, não se trata de uma opção.
Pensamentos limitados do que seja o casamento:

1. O casamento é uma cerimônia pública realizada na Igreja.
2. O casamento é uma exigência legal do país e do meio social.
3. O casamento é um contrato entre duas partes.
4. O casamento é uma instituição.

O casamento aos olhos de Deus deve incluir tudo isto, porém vai além. O casamento é uma aliança. Aliança é o termo Bíblico que descreve a relação homem e Deus no processo de salvação. Nas Escrituras, uma aliança é um pacto solene que envolve um soberano e um vassalo. A aliança é imposta ao segundo pelo primeiro e acarreta bênção quando cumprida e maldição quando quebrada.
Quando alguém entra numa aliança, assume um inescapável compromisso. A Bíblia fala que Deus fez uma aliança conosco. E essa aliança é um vínculo inquebrável com Deus. Deus não quebra aliança e não nos permite quebrá-la também. Quando alguém que está em aliança com Deus, desobedece e não aceita as condições estipuladas por esta aliança, a conseqüência é a maldição, mas Deus não quebra Sua aliança.

O casamento, portanto, é nada menos que uma aliança estipulada por Deus. Malaquias 2:14 se refere ao casamento como uma aliança “E perguntais: Por que? Porque o Senhor foi testemunha da aliança entre ti e a mulher da tua mocidade, com a qual tu foste desleal, sendo ela a tua companheira e a mulher da tua aliança” e é por isto que Ele odeia o divórcio. No livro de Provérbios (2:17), Deus adverte contra a adúltera que lisonjeia com palavras, que “deixa o amigo da sua mocidade e se esquece da aliança com Deus”. Note bem, ao deixar com quem ela se casou, é acusada de quebrar sua aliança.

O casamento é uma aliança, e por isto não podemos tratá-lo a nosso próprio gosto.

II – O que Deus diz sobre o divórcio?

O pensamento correto sobre a natureza do casamento dá o alicerce para sabermos o que Deus pensa do divórcio. Se o nosso Deus é um Deus de aliança, e Ele não quebra nem permite quebra de aliança, também não permite que o casamento seja quebrado. Como Deus não se divorcia do seu povo, assim ele não permite que marido e mulher se divorciem. Divorciar-se é quebrar o matrimônio da Aliança – Lemos em Ml 2:16 “Porque o Senhor Deus de Israel diz que odeia o divórcio …”
Precisamos compreender o texto de Mt. 19:1-7 em que Jesus diz que o divórcio é proibido mas que foi permitido por causa da dureza do coração. Deus nunca intencionou o divórcio, pois este contraria a essência do casamento como uma aliança que nunca deverá ser quebrada, anulada. Você então pergunta: Por que foi dada a permissão para o divórcio conforme Mt. 19:7.

Jesus responde em 19:9 – “Quem repudiar sua mulher, não sendo por causa de relações sexuais ilícitas, e casar com outra comete adultério …”. Note bem que a única razão para o divórcio conforme Jesus é o adultério, e isto para proteger a parte inocente, e não para dar às pessoas uma maneira fácil de cair fora de um relacionamento desagradável. Fora do adultério, o casamento só pode ser dissolvido em honra, somente pela morte. Divórcio é o atestado do pecado humano.

O casamento é para todo o sempre – Em Mt 19:6 Jesus afirma que “… “aquilo que Deus ajuntou não separe o homem”
Ele permitiu mas não deu a Sua bênção. Mesmo no caso de adultério, devemos perceber que o caminho de Deus não é o divórcio mas o perdão. Embora permitido, não é Seu desejo.

III – As causas do divórcio:

Se divórcio é o atestado do pecado humano, precisamos agora colocar algumas das mais freqüentes razões humanas para a separação. Quais são as razões ou causas da separação entre os casais? Gostaria de mencionar pelo menos quatro causas:

1. Descuido da vida cristã dos cônjuges
2. Ausência do perdão
3. Indisposição à mudanças necessárias
4. Ausência do amor

1 – Descuido da vida espiritual dos cônjuges:

Um escritor do século passado, certa ocasião disse à sua esposa: “Minha querida, quando amo mais a Deus, amo você da maneira como deve ser amada”. Quanto há de verdade nesta afirmação! Quanto mais nos aproximamos de Deus, mais nos aproximamos do nosso cônjuge.

A crise em um casamento já é sintoma de que há uma crise espiritual. Lemos nas Escrituras que “se o Senhor não edificar o lar em vão trabalham os que o edificam” Sl 127:1. Nosso casamento precisa ser regado à oração e leitura da Palavra. Qual foi a última vez que você orou com seu cônjuge? Quando foi que vocês sentaram juntos para estudar a Palavra de Deus?
Se não damos lugar a Deus no relacionamento marido-mulher, não há muito o que fazer para resistir à crescente degradação e enfraquecimento da relação a dois.

2 – Ausência de perdão:

Sem a disposição para o perdão, nenhum casamento consegue sobreviver por muito tempo. Quantos comentários negativos que aparentemente são inofensivos, mas vão penetrando sorrateiramente no relacionamento infligindo mágoa e ressentimento e destruindo os sentimentos mais ardorosos.

Quantos problemas antigos e mal resolvidos sempre voltam às discussões atuais. Quando o cônjuge permite que os fantasmas do passado continuem assombrando o presente, reavivando antigas amarguras, eles fazem com que as cicatrizes e feridas passadas não se fechem e se curem.
Quem não perdoa está matando aos poucos o sonho do casamento. (Cl. 3:13).

3 – Indisposição à mudanças necessárias:

Se formos bem honestos, teremos que admitir que nem tudo em nosso cônjuge nos agrada. Há hábitos, manias, comportamentos que nos irritam e nos tiram do sério. Porém isto é normal em qualquer casamento. Precisamos aceitar o fato de que somos diferentes do nosso cônjuge em muitas coisas, afinal viemos de famílias diferentes,de costumes e valores que nem sempre são os mesmos. Não obstante termos diferenças que são de nos mesmos, há muitas coisas em que precisamos ser mudados, e o que causa tensão no casamento é que os cônjuges não querem mudar, não se dispõem a mudanças necessárias para o bom convívio entre marido e mulher; pelo contrário, concentram grande esforço em tentar mudar o outro. Tal atitude cria fortes resistências, o cônjuge não muda e começa a cobrar mudanças no outro, acentua os defeitos e minimiza as qualidades.

4 – Ausência de amor:

“Eu não o amo mais”. Esta é uma frase comumente usada pelos cônjuges em crise para dar plausibilidade e legitimidade ao divórcio. Mas como tudo o que é dito nas Escrituras, o amor também sofre de má compreensão. O amor não é um sentimento para ser vivido apenas em bons momentos a dois, ou só na lua-de-mel. Conforme Cristo disse, o marido tem que amar a esposa como Cristo amou a Sua Igreja – dando sua vida por ela. Amor é a decisão de agir em favor do outro. Temos que abandonar aquele tipo de amor-fantasia, amor de novela, amor emocional. Amar é desempenhar atos de amor. Amar é ser gentil com o cônjuge, é procurar atender às necessidades do outro, é saber ouvir, é ser paciente, é não procurar seus próprios interesses, é não ser egoísta, é não mentir ao outro, é ter palavras de elogio e não de crítica, etc. … A ausência destas atitudes sufoca e estrangula o casamento.

O divórcio não oferece uma oportunidade fácil de começar uma vida nova. Lembre-se que sempre que desobedecemos a Deus sofremos conseqüências. Você leva cicatrizes do divórcio consigo para sempre.

Note as palavras de um irmão após alguns anos de seu divórcio:
“Acho que a morte é mais fácil de suportar do que um divórcio, porque nela existe um fim. O divórcio simplesmente não acaba”.

A Bíblia afirma inegociavelmente: “aquilo que Deus ajuntou não separe o homem”. Ferir este princípio é atrair desastrosas consequências.

Alguma coisa a mais ainda poderia ser dito aqui sobre este assunto; talvez algumas medidas de prevenção. Contudo, entendo que a melhor maneira para se prevenir ao divórcio é começar combatendo as suas causas: Monitore sua vida espiritual e comece a levar Jesus para dentro de seu casamento, aprenda a perdoar ao invés de guardar ressentimentos, esteja disposto a promover mudanças significativas em seu relacionamento, ao invés de cobrar mudanças, e tome a decisão de amar seu cônjuge.
Que o Deus da aliança abençoe seu casamento !

Fonte: Amor Conjugal

Governo global agora busca o controle total sobre a internet

Internet-Web-Globe-Earth-Information

O que é sem dúvida o último bastão de expressão totalmente livre está novamente sob ataque de tiranos do mundo. As Nações Unidas está agora na regulamentação da Internet – como se fosse necessidade de ser regulamentada.. Líderes de regimes autoritários em todo o mundo odeia o livre fluxo de informação que é divulgada através da Internet. Eles odeiam o fato de que eles não têm mais o monopólio em ideias e opinião dentro de seu próprio país. Eles veem as noções de liberdade e da liberdade como uma ameaça. Eles desprezam qualquer meio que comprometa a sua permanência no poder. E seus regimes estão fortemente representados na ONU, da qual os Estados Unidos (que já foi considerado o bastão da liberdade é o maior contribuinte da liberdade. “Quem dirige a Internet? Por enquanto, a resposta permanece ninguém, ou pelo menos o governo não quer explicar o sucesso da Web como uma nova tecnologia. Mas a partir de semana que vem, a menos que os EUA se agravar, a resposta poderia ser as Nações Unidas “, relata o The Wall Street Journal . autoritários buscam formas de controlar a liberdade de expressão, e liberdade individual. segundo o jornal, observando a World Wide Web está interligada em redes globais que desafiam as fronteiras internacionais e, como tal, tornam extremamente difícil para os governos a imposto ou censurar. Durante mais de um ano, esses regimes autoritários têm pressionado a agência da ONU conhecida como a União Internacional de Telecomunicações para agarrar as rédeas da Internet e assumir a sua gestão . A organização, que foi originalmente criada em 1865 como União Telegráfica Internacional , por último, escreveu um tratado sobre comunicações em 1988, anos antes da internet comercial desenvolvido em um sistema de comunicação popular e médio comércio. Nos próximos dias, a UIT pretende realizar uma “conferência de negociação” no emirado de Dubai, segundo relatórios. Nos últimos meses, surgiram rumores de que um novo tratado poderia ser em um futuro próximo – que será, sem dúvida provar desastrosa para uma Internet livre e aberta. maioria das resoluções dos EUA, bem como de livre mercado, comentário em publicações como o Jornal , “concentraram-se em propostas por governos autoritários a censurarem conteúdos da internet”, segundo o jornal. “Assim como censuráveis ​​são as propostas que ignoram como funciona a Internet, ameaçando suas operações suaves e aberta.” Qual seria o efeito de ter a Internet “revisada” e “regulada” por burocratas globais, a maioria dos quais são simpáticos, ou em dívida para, regimes autoritários empenhados em sufocar a liberdade de expressão e da liberdade individual. A Internet consiste de 40.000 redes, interconectadas entre 425.000 rotas globais que mais barata e ineficiente entregar mensagens e conteúdo digital para cerca de dois bilhões de pessoas ao redor do mundo todos os dias – com um meio milhão de assinatura, em cada dia. Até agora, a Internet tem sido regulamentada. Como está ninguém tem de pedir permissão para colocar seu próprio blog ou site. Nenhum governo tem a capacidade ou o direito de dizer operadores de rede como eles devem fazer seus trabalhos. “Tecnologia se move mais rápido do que qualquer processo tratado” O que tem acontecido é extremamente raro, se virtuais, lugar para a inovação, que requer nenhuma permissão prévia de um regulador ou agência governamental ou burocrata ou órgão de gestão. Ex Comissão Federal de Comunicações do Presidente William Kennard apontou que 90 por cento das cooperativas “peering” acordos entre os co-existentes redes são “feitos em um aperto de mão”, ajustando conforme as necessidades. “A internet é altamente complexa e altamente técnica, mas os governos são os únicos que tomam decisões na UIT, colocar a Internet à sua mercê.Mesmo que o governo Obama ainda não declarou publicamente a sua posição, a liberdade de espírito funcionários e legisladores na Europa (acredite ou não) têm intensificado até a placa. Europeia O Parlamento aprovou uma resolução que protesta planos da ITU para assumir o controle da Internet. “[O Parlamento Europeu] acredita que a UIT, ou qualquer outro centralizado instituição internacional, não é o órgão competente para afirmar a autoridade reguladora sobre a Internet governança dos fluxos de tráfego de Internet “, diz a resolução, que foi aprovada pela maioria dos representantes do PE, segundo relatos. Maiores apoiadores do regulamento incluem Rússia, China Segundo a Grã-Bretanha The Guardian jornal: O que está preocupando o PE, juntamente com uma improvável coalizão do Google, os EUA do Partido Republicano, o trabalho organizado e Greenpeace, é que a reunião pode tentar assumir a supervisão regulamentar das comunicações de Internet em um golpe de Estado a portas fechadas. O governo dos EUA disse que vai se opor a movimentos sérios para mudar a atual ordem regulamentar, mas como eficaz que será continua a ser visto. “A resolução do Parlamento é um grande sucesso para usuários de internet. “Isso envia um sinal claro e positivo para a Comissão Europeia e os Estados-Membros “, disse Amelia Andersdotter, deputado pelo Partido Pirata e co-apresentador da resolução, The Register informou. Alguns dos maiores apoiadores da regulamentação da Internet incluem absoluto, não surpreendentemente, os regimes autoritários da Rússia e China. Como já dissemos, a Internet é realmente o último bastão de expressão genuinamente livre e de expressão, para não falar de um criador enorme de comércio e riqueza. Regular a Internet terá exatamente o mesmo efeito que os regulamentos sobre a indústria teve – ele vai sufocar a criatividade, reduzir liberdades, matar e destruir empregos e crescimento econômico. Vamos manter um olho no presente muito importante

Learn more: http://www.naturalnews.com/038125_United_Nations_internet_global_government.html#ixzz2DWEEZqs0

Navegação de Posts